quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

O gato com síndrome de Janus que viveu por mais tempo

   Frank e Louie foi um gato que recebeu dois nomes por conta de uma característica peculiar: o bichano nasceu com duas faces. O fato é derivado da síndrome de Janus, que faz referência ao deus romano Janus. Segundo a mitologia, ele possuía duas faces.


   Uma reportagem do portal norte-americano Daily News revelou que estes animais são extremamente raros e poucas vezes vivem mais do que alguns dias após o nascimento. Frank e Louie, no entanto, atingiu a idade adulta e viveu por 12 anos.
   Em 2011, quando o gato tinha 11 anos, ele ganhou um lugar na nova edição do Guinness World Records como o gato com síndrome de Janus que sobreviveu por mais tempo.



   O gatinho tinha duas bocas, dois narizes e três olhos, mas apenas um cérebro. Isso acontecia por conta de um defeito congênito raro conhecido como diprosopia. A condição ocorre em diversos animais, incluindo os seres humanos.
   Ele comia e fazia barulhos através do seu lado direito do rosto, ou o “lado Frank”.


FONTE: Topbiologia

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Snuffes, o primeiro registro de cachorro com dois focinhos

   Snuffes é um Pastor belga da Escócia que nasceu com uma condição genética rara. O animal, que aparenta ter dois focinhos, na verdade sofreu um tipo de mutação que fez as narinas crescerem independentemente, como se houvesse um tipo de divisão entre elas. Apesar disso, Snuffes não apresenta problemas de saúde.



   O cachorro ficou conhecido por diversas campanhas realizadas em redes sociais e no próprio país para adotarem o animal. Por conta de sua aparência, ninguém queria dar um lar a ele.
   De acordo com uma reportagem do Daily Mail, Snuffes já tinha um lar quando nasceu. Porém, quando os donos perceberam a má formação, deram o cachorro para um abrigo em Glasgow
.

   Depois disso, o abrigo iniciou a busca pelo “dono perfeito”, que adotasse o pastor belga definitivamente. A campanha deu certo e pessoas do mundo todo procuraram o centro para adotar Snuffes. Hoje, o animal vive com um escocês de East Lothian.






segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Sem Photoshop – Conheça as secretas montanhas coloridas que lançam jatos de água de até 5m

   No Fly Ranch Geyser, uma propriedade perto de Gerlach, Nevada, nos Estados Unidos, homem e natureza se juntaram pra criar algo belo e surpreendente. No início do século passado, em 1916, uma perfuração de poços deu origem, acidentalmente, a um espetáculo de cor que hoje pode ser apreciado apenas por um conjunto selecionado de pessoas.
   Vários anos após a perfuração, um pedaço de água quente começou a escapar por uma parede mais fraca e o gêiser entrou em erupção, lançando uma coluna de água quente e vapor para o ar. Os minerais dissolvidos, bem como as bactérias, cresceram e acabaram formando o monte sobre o qual se senta o gêiser, que hoje lança continuamente água até 5 metros de altura.
   Certamente ninguém imaginaria o autêntico arco-íris que se formaria nesta espécie de vulcão em miniatura. O resultado, ainda que acidental, é tão incrível que o fotógrafo Christian Klepp o descreveu assim : “esta paisagem estranha e sobrenatural poderia ter existido em algum lugar vulcânico em Júpiter. Tais paisagens sobrenaturais são raras na Terra, mas elas existem. Talvez isso ajude a imaginar como era a Terra no seu início”. Dá uma olhada nas fotos:











Como está inserido numa propriedade privada, o gêiser tem acesso restrito e é um dos segredos mais bem guardados do mundo. Mesmo alguns habitantes de Nevada, desconhecem este tesouro natural.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Cientistas conseguem criar fios de cabelo a partir de células da pele

Método pode dar origem a tratamento contra calvície no futuro.Pesquisa transformou célula humana adulta em célula-tronco epitelial.

   A tão procurada cura para a calvície pode estar um passo mais perto de ser alcançada. Um grupo de pesquisadores liderados pelo médico Xiaowei Xu, professor da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, conseguiu criar folículos capilares e até fios de cabelo a partir de células adultas.
   O estudo foi publicado pelo periódico científico “Nature Communications” esta semana. Para chegar ao feito, os cientistas primeiro utilizaram células adultas da pele humana para criar as chamadas células-tronco pluripotentes induzidas, que são aquelas capazes de se transformar em qualquer outra célula do organismo. Isso foi possível por meio da inserção de três genes.
   Em seguida, eles tiveram sucesso em converter as células-tronco pluripotentes em células-tronco epiteliais. O processo foi bem-sucedido em 25% das células. A comparação das células "fabricadas" com as células-tronco epiteliais “originais” - encontradas diretamente nos folículos capilares - mostrou que elas tinham as mesmas características.

As setas mostram os fios de cabelo que tiveram origem nas células-tronco epiteliais criadas pelos cientistas (Foto: Ruifeng Yang/Perelman School of Medicine/University of Pennsylvania/Divulgação)

   O próximo passo foi misturar as células-tronco epiteliais “fabricadas” com células de camundongos para, depois, implantar a mistura na pele dos roedores. O resultado foi que eles começaram a produzir pele humana e folículos capilares similares aos humanos, que deram origem a fios de cabelo.
  “Os resultados sugerem uma abordagem para gerar grande número de células-tronco epiteliais para engenharia de tecidos e novos tratamentos para queda de cabelo, cicatrização de feridas e outros distúrbios degenerativos da pele”, diz o estudo.
   Xu observa que a estratégia ainda não pode ser aplicada diretamente nos humanos, pois o processo ainda envolve o uso de células dérmicas de camundongos. “Quando uma pessoa perde cabelo, ela perde dois tipos de células. Resolvemos um grande problema, o componente epitelial do folículo capilar. Precisamos descobrir um jeito de também produzir novas células da papila dérmica, e por enquanto ninguém ainda encontrou essa solução”, diz Xu.